sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Ninguém é a medida do mundo

Deus nos coloca sempre perto das pessoas com quem podemos aprender algo. Isto é sempre verdade e, com alguma humildade, qualquer um pode comprovar. Mas tem pessoas que vivem como se fossem só para ensinar os outros. Elas realmente crêem saber toda verdade, tudo que é bom, e se sentem no dever de dizer às outras como é o jeito certo de agir ou de pensar, ou até de sentir.
Essas pessoas se acreditam certas, agem numa espécie de convicção heróica, de que todo mundo é cego e elas enxergam tudo. Também é comum que sofram muito na condição de filhos, de pais, de maridos e de esposas, proclamando suas sagradas opiniões, ou guardando-as para si, numa reprovação silenciosa de qualquer conduta discordante.
Se você é uma dessas pessoas que vivem criticando quem não reza pela sua cartilha, que pensam que a verdade que descobriram tem que servir pra todo mundo e que classificam ou outros baseadas nos seus próprios julgamentos pessoais… quero falar com você.
Você precisa acordar! O que você aprendeu, o nível da verdade a que você chegou, o que você já aprendeu sobre comportamento social e conduta, tudo isto é muito seu, é conquista da sua alma nos milênios, e eu não quero que você despreze ou jogue fora. Pode lhe ser muito caro. Pode ter lhe custado muito caro, em luta e sofrimento.
O que você viveu ajuda a ver seu momento presente de uma certa forma e também orienta você nos passos que escolhe dar. Mas isto só serve pra você. Não se aplica às situações dos outros, aos problemas dos outros, às atitudes dos outros, porque as atitudes deles também nascem do que aprenderam em suas próprias experiências.
O que você pensa ou sente a respeito do bom ou do ruim, do conveniente ou inconveniente, é ótimo pra você, mas fica péssimo quando você tenta usar pra enquadrar outras pessoas, ou para dizer-lhes como agir, porque são idéias que nasceram do que você viveu e não têm nada a ver com as vidas que os outros escolheram.
Você pode até explicar suas boas intenções, mas isto não impede que você sofra, porque você quer endireitar o que não é endireitável e porque você não é juiz ou juíza de ninguém. E quanto mais você acredita que vai endireitar os outros, resolver os problemas do mundo com suas idéias, maior o seu orgulho e mais você sofre, pois você não vê o que precisa resolver em você pra parar de sofrer. Com você, você acha que está tudo certo. Só que você não é feliz. Mas acha que o problema não é com você - imagina! - nem com a sua vida azeda. Vai dizer que você não vive melhor porque o mundo não é diferente. Deus tinha que criar um outro Universo, com outra lei, onde você pudesse ficar com suas idéias perfeitas sobre tudo? Tá de sacanagem, né?
Por que não tornar tudo mais fácil?Comece tirando de cima das costas este peso de ter sempre a última palavra sobre as coisas. Essa obrigação de saber o que tomo mundo deve fazer.
É de você que você tem de dar conta. Não é dos outros. Então deixa os outros, que cada um dá conta de si. E vai viver um pouco. Ser amigo. Brincar com leveza de alma. Aprender…
Deus não fez ninguém pra ser a medida da Humanidade, porque isto seria duro demais, sofrido demais… solitário demais pra qualquer um aguentar. Mas ele deu a cada um sua própria noção de medida, também chamada de consciência.

Psicografia do espírito Calunga.
By "Simples coisas da vida - http://www.cirilovelosomoraes.com.br"
PS - Essa pessoa consegue colocar tudo o que eu penso no papel... incrível!!

Um comentário:

Patryk Melo disse...

"...E vai viver um pouco. Ser amigo. Brincar com leveza de alma. Aprender..."

Otimo fds!!

bjoos e cuide-se!