sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Pra ser sincero

"Eu era tão feliz, e não sabia, amor. Fiz tudo que eu quis, confesso a minha dor. E era tão real, que eu só fazia fantasia e não fazia mal. E agora é tanto amor, me abrace como foi, te adoro e você vem comigo aonde quer que eu voe. E o que passou calou, e o que virá dirá. E só ao seu lado, seu telhado me faz feliz de novo. O tempo vai passar, e tudo vai entrar no jeito certo de nós dois. As coisas são assim, e se será, será. Pra ser sincero meu remédio é te amar, te amar. Não pense por favor, que eu não sei dizer que é amor tudo o que eu sinto longe de você."

Porque as vezes a gente acorda assim... melancólico, pensamento a mil. No outro dia pensa o oposto e percebe tudo de uma outra forma. Complicado... mas uma hora tudo entra no eixo, e acaba bem, como se diz "se não acabou bem é porque não chegou ao final".

sábado, 24 de janeiro de 2009

Tudo passa

Depois de uma tarde relembrando os velhos tempos de faculdade, onde meus queridos amigos e eu ficamos escutando Lupicínio, Rossi, Victor e Leo (=]), "thururururu paixão" (como era mesmo o nome da incrível compositora?), entre outros... eu me peguei escutando essas músicas de dor de cotovelo. É incrível como dependendo do seu estado de espírito, certas músicas parecem ter sido feitas para você naquele exato momento. Só me resta uma única conclusão: ainda bem que não sou só eu que passo por aquilo!
Mas não é bem de músicas de amores desfeitos, impossíveis, que eu queria comentar... e sim daquelas (que na maioria se referem a amores) que dizem "tudo passa". Por mais comum que isso seja, por mais que todos digam isso, é a mais pura verdade. T-U-D-O PASSA! O momento em que as coisas acontecem podem ate marcar, doer, mas passa. Vendo a novela das oito o cara lá falou uma coisa bem interessante sobre isso, eu não estava pretando bem atenção mas ele contou uma história que alguém deu um bilhete pra outra pessoa e disse "abra só quando se sentir feliz o suficiente para ter certeza que não pode se sentir melhor, ou quando estiver triste o suficiente para saber que não há coisa pior" e no bilhete estava escrito "tudo passa".
O interessante que só paramos pra pensar nisso quando não estamos bem (como é o momento), quando estamos nos sentindo caindo no poço, sem forças. Isso não dura pra sempre, o poço tem fim, no fim do túnel sempre há uma luz, e é nisso que eu tenho tentado pensar. Coisas ruins acontecem e quando estamos pra baixo não percebemos as coisas boas que também acontecem todos os dias, coisas simples mesmo, que na maioria das vezes não damos muita importância, mas que são fundamentais para nos sentirmos bem, sem elas certas coisas não teriam sentido.
Pois bem... acho que to pensando, escrevendo, e as coisas estão ficando um pouco misturadas. O que eu quero dizer é que devemos prestar mais atenção nas pessoas e nos momentos bons que temos (porque no final do dia as coisas negativas é que são mais lembradas), e pensar "TUDO PASSA" por isso devemos esquecer o ruim, e aproveitar o melhor, como se só fosse durar naquele momento.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Paciência

Paciência é uma virtude de manter um controle emocional equilibrado, sem perder a calma, ao longo do tempo. Consiste basicamente de tolerância a erros ou fatos indesejados. É a capacidade de suportar incômodos e dificuldades de toda ordem, de qualquer hora ou em qualquer lugar. É a capacidade de persistir em uma atividade difícil, tendo ação tranqüila e acreditando que você irá conseguir o que quer, de ser perseverante, de esperar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em paz a compreensão que ainda não se tenha obtido, capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção, sem ter pressa, capacidade de se libertar da ansiedade. A tolerância e a paciência são fontes de apoio seguro nos quais podemos confiar. Ser paciente é ser educado, ser humanizado e saber agir com calma e com tolerância. A paciência também é uma caridade quando praticada nos relacionamentos interpessoais. (By Wikipedia)

Sem mais para o momento... o texto já diz tudo!!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Mais uma vez

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem
Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança
Mas é claro que o sol vai voltar amanhã mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem
Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança
(Renato Russo)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Estopim

Lembro de ter ouvido e palavra “estopim” pela primeira vez no primeiro ano do Ensino médio, na aula de História Geral. O professor falou que o estopim da Primeira Guerra Mundial foi o assassinato do Francisco Ferdinando, e dedicou uma meia hora para explicar o significado da palavra estopim usando como exemplo os fatos que antecederam a Guerra. Lógico que ele estava explicando a Guerra, mas para mim, era uma aula do que significava a palavra, que não me saiu da cabeça desde então. Fui procurar no dicionário o significado mais formal dela, e lá tinha que era um explosivo. Depois de refletir um pouco eu entendi realmente o que significava. Ela tem um pouco de tudo, no sentido propriamente dito é um explosivo, no sentido mais figurado, poético, é a gota d’água, o basta, quando a sucessão de vários acontecimentos fazem gerar uma explosão.
Desde então eu procuro o estopim para todas as coisas que acontecem na vida, tanto pro lado bom quanto pro lado ruim.
As pessoas tendem a esperar o estopim para começar a mudar certos rumos, eu me incluo ai, mas claro que existem exceções. A gente espera, aceita, releva, vai “empurrando com a barriga”, as vezes coisas que vemos que não estão mais rendendo. Ficamos acostumados, acomodados com certas situações (ou pessoas) e não nos damos conta que ali só está se juntando argumentos para chegar a um BASTA.
Agora pergunto, por que motivo deixamos que se chegue ao estopim?
Respondendo por mim, é porque nos acomodamos, ficamos com receio de questionar, de mudar mesmo. Fechamos os olhos para certas coisas pra evitar conflitos, discussões, chateação. Relevamos para evitar conflitos.
Seria bem mais fácil ir mudando, questionando as coisas à medida que elas fossem acontecendo. Ser mais direto, mais sincero, mais transparente, nunca fez mal a ninguém. A verdade até pode doer algumas vezes, mas garanto, a mentira dói muito mais. O sentimento de ser enganado machuca, e pode sim ser evitado.
O caminho depois do estopim pode ter dois segmentos. Um é tentar mudar certas coisas, mas sem sair do eixo, digamos aperfeiçoar, ajustar, esse é o mais comum, porque também é o mais fácil. O segundo é o mais radical, é o mudar totalmente a situação, começar do zero, deixar pra trás o que se passou, esse exige mais coragem, mais determinação e mais força de vontade.
Confesso que ainda falta em mim um pouco de coragem para mudar.
Conseguimos enxergar os antecedentes para o estopim, mas muitas vezes nada fazemos, fechamos os olhos, “deixamos rolar” para ver o que acontece. Na maioria das vezes, fazendo uma analogia, acontece como na Primeira Guerra.
Portanto, ao perceber a aproximação do estopim, REAÇÂO!

E CORAGEM sempre!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Amigas para sempre

Enviado por minha amiguinha Bruna...
O importante...

... é continuarmos amigas
Para sempre!!!



Amo todas minhas verdadeiras amigas!!!