quinta-feira, 25 de junho de 2009

Irmão


Pra quem não sabe eu tenho quatro irmãos mais velhos, e com a licença dos outros hoje apenas vou falar do meu irmãozinho mais velho, Breno, por alguns motivos.

Primeiro porque ele é mais velho e se tivesse que ter uma ordem eu teria mesmo que começar por ele.

Segundo porque sábado é aniversário dele, e esse ano vamos comemorar de uma forma mis especial.

Terceiro porque faz quatro dias que ele me deu o melhor presente que eu já pude receber.

Mas enfim, teriam muitos outro motivos que eu não preciso ficar descrevendo aqui. Breno sempre foi muito presente em minha vida, como os outros, mas de uns tempos pra cá ele vem se mostrando uma pessoa muito mais especial do que sempre foi. Antes eu tinha aquela imagem de irmão mais velho, que ficava na dele, que a gente não podia aperriar, aquela coisa de chato mesmo. Ele sempre foi muito na dele, exceto quando tomava umas cervejas a mais e botava pra fora o que não dizia quando estava sóbrio, e era ai que a gente via o tamanho do coração e da preocupação dele. Desde que perdi meu pai ele meio que tomou uma postura de "cuidar" de mim e de minhas irmãs. Perguntava meio que discretamente por namorados, escola, amizade, etc. Me levou algumas vezes a shows e festinhas comuns de quando a gente tem 15, 16 anos. Quando eu aparecia com alguém fazia logo cara feia, e depois vinha o questionário. Eu achava tudo isso engraçado e adorava a forma que ele tinha de expressar a preocupação.

De uns tempos pra cá, eu cresci, ele casou, e muita coisa mudou. Não moramos mais na mesma rua nem nos vemos com a mesma frequência de antes, e isso é algo que eu sinto muito. Cresci com meus irmãos do meu lado, e hoje me sinto meio que sozinha. Breno mudou um pouco, ele agora fala mais, pergunta mais, conversa mais. Não que antes ele não fizesse isso, mas ele era meio fechado, dizem que isso é coisa de canceriano, vai ver é por isso que eu me identifico muito com ele. Já aconteceu até dele me dar conselhos sobre relacionamento, o Breno de antes não faria isso!! Hoje ele cozinha, e até ri (tenho mais de uma prova disso!!!). Mas brincadeiras a parte, ele cada vez mais me surpreende e eu cada vez mais o admiro.

Admiro pela pessoa que ele é, e pela família que ele está construindo.

Todos os anos essa época estávamos combinando o nosso aniversário, que fazíamos juntos, na véspera de São Pedro, com direito a fogueira e tudo mais. Esse ano nossa vida mudou, mudou a minha também porque sou tia pela primeira vez, ele acabou de ganhar André, que é o bebê mais lindo que e já vi (e olhe e já vi muitos). Breno está com cara de pai mesmo, e eu estou achando perfeito. Não vamos comemorar nosso aniversário, e sim esse motivo muito maior, André, que nasceu com saúde e alegrou a vida de todos. Que ele seja como Breno, uma pessoa única, que a gente pode contar sempre, muito especial para todos que o rodeiam. E que ele tenha uma irmã como eu, que o admira em tudo, porque assim ele vai provar que aprendeu direitinho com o pai!!

2 comentários:

Lara disse...

Chorei....

Rodrigo disse...

Muito bonito esse amor que você sente por seus irmãos. Cada vez mais me surpreendo também com você e esse seu coração gigante.

Abraços apertados de quem já está com saudade antes mesmo de ir embora.