terça-feira, 18 de agosto de 2009

Ser pessoa


Outro dia minha mãe me deu alguns vídeos do Padre Fábio de Melo, para que eu deixasse de vê-lo apenas como um “rostinho bonito”. É bem verdade que eu não conseguia vê-lo como padre, até porque ele mesmo não se veste como um (e isso é meio estranho para mim), mas é claro que eu ficava brincando quando falava algumas coisas, apesar de continuar achando ele muito bonito!!

Ainda não assisti todos os vídeos, mas gostei e muito dos que eu já assisti até o momento. Em um ele fala de como o ser humano se torna PESSOA, e eu fiquei pensando nisso por alguns momentos. Ele diz que se nasce indivíduo e aos poucos se torna pessoa, ser dono de si. E são as experiências, as instruções, a educação e a auto-estima que fazem o indivíduo “evoluir”.

E pensando bem... é exatamente isso! Quando somos bebês fazemos aquilo que nossos pais determinam que devemos fazer, eles nos vestem, dão a comida que quiserem, nos levam pra onde quiserem, etc... a partir daí já vamos tendo experiências que mesmo inconscientemente vão guiando nossas escolhas e preferências.

Quando somos crianças nossos pais ainda determinam nossas vidas, entretanto já temos o poder de escolha em algumas situações, dizemos se gostamos disso ou daquilo, se queremos ir ou não, se queremos falar, e ai a participação dos pais é fundamental para que consigamos discernir o certo do errado, o que pode e o que não pode.

Na adolescência, pra mim, é a fase crítica, pois achamos sempre que nossos pais estão errados, que estão contra nós, e eles têm que ser firmes para sustentar o “NÃO”, mesmo tendo que ouvir um “TE ODEIO” as vezes.

Passada essa fase, muitas coisas começam a ficar claras para nós. Nossos pais já começam a nos deixar “andar com os próprios pés”, e passamos a ter que assumir nossas escolhas. O papel dos pais ainda é orientar, dar o ombro, apoiar, porém nosso ser como pessoa já está formado, cabe a nós saber que caminho seguir e aguentar as consequências. É nossa auto-estima e nossa determinação que vão determinar nosso futuro. Quando gostamos de nós mesmos de verdade conseguimos ser mais fortes, conseguimos passar por dificuldades de cabeça erguida e recomeçar com mais força. Quando somos nós mesmos lidamos mais fácil com nossas escolhas, damos mais valor ao que conseguimos e almejamos. E assim vamos nos tornando pessoa.

Ser pessoa não é fácil, precisa de persistência, coragem, determinação, e muito, mas muito amor próprio. É amando a si próprio (aprendendo com os defeitos e administrando as qualidades) que conseguimos nos tornar senhores de si, e nos tornamos felizes de verdade.

2 comentários:

Rodrigo disse...

Os amigos também contribuem para a construção do ser pessoa. Você contribuiu e contribui pra mim!

Saudade dos nossos papos cabeça sem ter fim. O que me falta aqui é uma pessoa como você, que tenho certeza não encontrarei!

PS - So o Skype salva!

Abraços apertados!

(Arika) disse...

Que texto lindo mari ... =) minha mãe também falava muito desse Padre, gatão! hahaha :P Mas eu li uma parte do livro dele e assisti a uma entrevista dele em um programa de televisão que não me recordo agora e vi o quanto é interessante e verdadeiro tudo o que ele fala, ele é bem espiritualizado, virei fã! É como eu coloquei agora recentemente no meu novo post, as coisa não são simples, tudo é difícil, mas se fosse sempre fácil será que a gente aprenderia alguma coisa?

Beijooooooooooo!
Obrigada pela visita, adoro!