quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Adeus ano velho!!

Já deu de 2009, valeu, foi bom, Adeus!!!
Apesar de alguns atropelos esse ano foi MARAVILHOSO!!
E que 2010 seja ainda melhor!!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Mais um dia 26 de dezembro

Hoje faz 12 anos que meu pai nos deixou, e o sentimento só não é o mesmo de 12 anos atrás porque a cada dia que passa a saudade aumenta. Esse texto eu fiz ha 2 anos, e li na missa de 1 ano da morte do meu avô e 10 anos da morte do meu pai, transcrevi alguns trechos aqui. Natal será sempre uma época meio estranha e cheia de lembranças boas e ruins, mas a imagem que ficará pra sempre é a de um pai alegre e um avô sorrindo.

...

"Pode ser até um pouco tarde pra falar tanta coisa que eu sempre gostaria ter dito, mas minha fé me faz pensar que hoje mais do que nunca tudo o que penso ou falo é ouvido por eles. Todos aqui sabem quem foi Clodoaldo Oliveira, ou pelo menos já ouviram falar (bem). Tudo o que escuto é que meu avô era um homem acima de tudo bom e justo, acho que essas são as palavras que melhor o definem. Mas poucos sabem como ele era simplesmente 'Vovô Clodoaldo', ou apenas seus 21 netos e 11 bisnetos saibam. Em alguns lugares sempre fui recebida como a 'neta de Clodoaldo' e isto é até hoje. Pra mim, ele sempre foi uma pessoa que eu admirei, mesmo que em silêncio. (...)

Até mesmo quando ele já não estava mais lúcido me ensinou algo. A palavra 'obrigado' nunca deixou de ser pronunciada quando lhe era feito algo para seu bem-estar. Nunca o vi reclamar de nada, até quando a ocasião permitia. Na maioria das vezes nos comunicávamos apenas pelo olhar, ou pelo aperto de mão, e como era gratificante o ver sorrindo quando pronunciava algo em seu ouvido! Não existe nenhuma recordação ruim que eu possa ter de vovô.

Ele sempre foi como um pai, especialmente depois que perdi o meu aos 13 anos de idade. Vovô, ainda lúcido, não deixou de ir um dia sequer em minha casa pra saber se estava tudo bem ou se precisávamos de algo, fez tudo para que eu, minha mãe e minhas irmãs nos sentíssemos confortáveis diante da enorme perda, e não ficássemos sós. Ele sempre fez questão de mostrar que podíamos contar com a família que ele construiu. E hoje, mais do que nunca, me orgulho da família que tenho. (...)

Hoje, celebrando 1 ano da partida do meu avô e 10 anos da partida do meu pai me sinto triste por não tê-los mais ao meu lado, digo com toda convicção que só quem perdeu um pai sabe a falta que ele faz em todos os momentos da vida. Meu pai também sempre foi um exemplo para mim, não existem palavras que possam descrevê-lo como pai, marido, filho, irmão e amigo, todos que o conheceram sabem o quanto ele era especial e apenas eu, minhas irmãs e minha mãe sabemos o que ele significou para a construção de nossas vidas. Não há um dia em que eu não deseje apenas dar aquele abraço apertado no meu pai, ou ouvir o silêncio do meu avô, sinto falta de todos os momentos felizes que vivi ao lado dos dois. Mas fico satisfeita em saber que hoje eles estão juntos e intercedendo por todos nós, com certeza estão podendo nos ajudar mais agora que em vida, e esse pensamento é o que me conforta."

...

Saudade eterna!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Porque eu sei que é amor

Mais uma musiquinha bacana... essa da minha banda preferida em seu CD novo. Titãs! Composta por Sérgio Brito e Paulo Miklos.
...
Porque eu sei que é amor
Eu não peço nada em troca
Porque eu sei que é amor
Eu não peço nenhuma prova
Mesmo que você não esteja aqui
O amor está aqui agora
Mesmo que você tenha que partir
O amor não há de ir embora
Eu sei que é pra sempre
Enquanto durar
Eu peço somente o que eu puder dar
Porque eu sei que é amor
Sei que cada palavra importa
Porque eu sei que é amor
Sei que só há uma resposta
Mesmo sem porquê eu te trago aqui
O amor está aqui comigo
Mesmo sem porquê eu te levo assim
O amor está em mim mais vivo
Eu sei que é pra sempre
Enquanto durar
Eu peço somente o que eu puder dar
Porque eu sei que é amor
Porque eu sei que é amor

domingo, 6 de dezembro de 2009

Pra você guardei o amor

Porque Nando Reis é tudo de bom!! Música do CD novo 'Drês'...
...
"Pra você guardei o amor que nunca soube dar. O amor que tive e vi sem me deixar sentir, sem conseguir provar, sem entregar e repartir.
Pra você gaurdei o amor que sempre quis mostrar, o amor que vive em mim, vem visitar, sorrir, vem colorir solar, vem esquentar e permitir.
Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz no giz, no gesto, o jeito pronto do piscar dos cílios que o convite do silêncio exibe em cada olhar.
Guardei sem ter porque. Nem por razão ou coisa outra qualquer. Além de não saber como fazer pra ter um jeito meu de me mostrar.
Achei vendo em você. E explicação nenhuma isso requer. Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar.
Pra você guardei o amor que aprendi, vem dos meus pais. O amor que tive e recebi, e hoje posso dar livre e feliz. Céu, cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar.
Vou nascer de novo. Lápis, edifício, tevere, ponte, desenhar no seu quadril. Meus lábios beijam signos feito sinos, trilho a infância, terço o berço do seu lar."

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Desbafo

Tem dias que a gente acorda mesmo diferente. Em um dia a vontade é não se levantar da cama em hipótese alguma; em outros se levanta com um pulo já achando que o dia vai ser pouco pra se fazer tudo o que se pretende; e tem dia que a gente simplesmente acorda e deixa as coisas acontecerem por si sós. Esses são os piores dias.
Esperamos mais dos outros do que de nós mesmos. Esperamos que tudo se resolva sem o nosso esforço. Esperamos a ligação que não acontece, a voz que não se ouve, o abraço que não se dá... e passamos o dia todo esperando, esperando, esperando.
Em alguns momentos a espera é recompensadora, em muitos outros não, porque ela simplesmente não acontece, e quando damos conta já perdemos tempo demais, deixamos de ver o que estava ao nosso redor, deixamos passar um dia em vão.
Tem dias que rezamos para que não acabe, curtimos cada minuto, cada segundo, e esses momentos ficam eternos em nossas lembranças. Coisas boas a gente não esquece. Geralmente essas coisas boas são um simples gesto, uma palavra, um olhar no momento certo, um afago que não se espera, e passamos o resto do dia sorrindo ao simplesmente lembrar. Só o fato de lembrar já é confortante! Mais ainda quando temos certeza de que isso será repetido. Que PODE ser repetido.
Por isso aprendi que o que me faz bem eu levo comigo, eu quero de novo, eu TENHO de novo.
E o que me faz mal... bem, o que me faz mal fica lá, bem guardadinho nas minhas lembranças com o título de "serviu pra aprender, não pra ser lembrado".
E assim eu consigo ter dias bons! Bons com perspectivas de serem perfeitos!